Como não esquecer da coisas – que você tem à fazer ou daquele conteúdo – logo depois de ter estudado, certamente é algo que incomoda muitas pessoas.

Estudar durante horas e depois esquecer quase tudo é algo que infelizmente faz parte da vida de muitas pessoas, principalmente dos concurseiros.

Isso pode acontecer com qualquer estudante, independentemente do tempo de experiência que tem nos estudos.

Primeiramente, é importante reforçar que a quantidade de estudo não vai determinar se o aluno vai alcançar uma boa colocação, mas sim a qualidade dos seus estudos.

Ou seja, é melhor estudar menos e realmente assimilar o conteúdo, ao invés de passar o dia inteiro estudando, mas não aproveitar quase nada.

Diferença entre Memorização e Decoreba

De forma resumida, a memorização representa a capacidade de reter as informações no cérebro – por um longo período de tempo – podendo contar com elas toda vez que for necessário.

Por outro lado, a “decoreba” consiste na prática de assimilar as informações de maneira forçada, principalmente por meio da repetição.

No entanto, é grande a possibilidade de você precisar e acabar esquecendo daquilo que decorou.

Como não esquecer das coisas: 14 dicas para começar aplicar

como-não-esquecer-das-coisas

Antes de continuar é importante lembrar que cada técnica de memorização funciona de forma diferente para cada pessoa.

Sendo assim, é importante você fazer um teste e verificar qual a melhor técnica para você.

Nesse sentido, separamos algumas dicas para você estudar de uma forma mais proveitosa:

1 – Fazer uma leitura geral

Primeiramente, comece fazendo uma rápida leitura geral.

Não precisa levar a rigor cada palavra que tem no texto.

Esse procedimento tem como finalidade fazer com que você tenha uma ideia geral do assunto que vai estudar.

2 – Elaborar resumos

Logo após terminar de fazer a leitura, feche o material e procure fazer um resumo do conteúdo.

Se você não tem muita prática, pode fazer anotações ao mesmo tempo que faz a leitura.

No entanto, com o passar do tempo, será necessário forçar um pouco a memória e tentar fazer os resumos após a leitura, mas sem olhar o material de apoio.

3 – Intercalar as matérias

O cérebro cansa mais rápido quando fizemos a mesma coisa por muito tempo.

Sendo assim, não estude a mesma coisa por mais que 2 horas consecutivas.

4 – Ensinar o que você aprendeu

Se você tiver a oportunidade, explique o conteúdo à outra pessoa.

Trata-se de uma das melhores formas de assimilar o que foi estudado.

Caso não tenha para quem explicar, você também pode fazer isso consigo mesmo.

No entanto, essa explicação precisa ser em voz alta.

Mas atenção, ler em voz alta não é a mesma coisa que explicar.

Explicar, significa narrar com as suas palavras o que acabou de entender.

5 – Criar Acrônimos e Mnemônicos

Acrônimos são siglas que servem para facilitar a memorização.

Nesse caso, cada letra da sigla representa uma palavra, como no exemplo abaixo:

Art. 37 – CF/88 – Princípios da Administração Pública – L.I.M.P.E

Legalidade

Impessoalidade

Moralidade

Publicidade

Eficiência

Mnemônico é uma associação feita com outra coisa mais fácil de ser lembrada, como objeto, local ou palavra.

Veja um exemplo de como poderá ficar:

Art. 1º – CF/88 – Fundamentos da República Federativa do Brasil – So.Ci.Di.Va.Plu

So – Soberania

Ci – Cidadania

Di – Dignidade da pessoa humana

Va – Valores sociais do trabalho e da livre iniciativa

Plu – Pluralismo político

Você também pode gostar: 

Princípios Fundamentais da RFB – Artigos 1º ao 4º da CF/88.

Se você usar a criatividade, certamente poderá usar essas técnicas para qualquer outro tipo conteúdo.

6 – Fazer Associações

Como-não-esquecer-das-coisas-com-associações
Imagem: Pixabay

Você pode fazer associações com alguma coisa que seja marcante, como por exemplo:

Qual é o número de membros do Superior Tribunal de Justiça (STJ)? 

Nesse caso, a letra “J” pode ser associada a Jesus Cristo, cuja idade era 33 anos quando foi sacrificado.

Sendo assim, o número de membros do STJ corresponde a 33.

Por outro lado, quanto mais ridícula for a associação, mais fácil será para ser lembrada.

Vamos supor que você veja uma pequena batida de carro.

Até aqui tudo bem, provavelmente você vai esquecer logo, logo.

Agora, tente criar uma cena bem ridícula sobre o acidente.

Imagine que depois da batida o carro voou e ficou achatado bem na sua frente (parecia um chinelo).

Com certeza, você vai lembrar desse acontecimento durante mais tempo.

7 – Desenhar Mapas Mentais

Como-não-esquecer-das-coisas-com-mapa-mental
Imagem: Pixabay

O mapa mental é uma técnica que pode ser aplicada manualmente ou através de programas de computador.

Para criá-lo, primeiramente defina um tema e depois escreva no meio de uma folha.

Em seguida, use elementos relacionados para ligar a esse tema central.

Ícones, cores e símbolos devem ser usados com bastante frequência para estimular a memória visual.

8 – Fazer música sobre o assunto

Como-não-esquecer-das-coisas
Imagem: Pixabay

O refrão de uma música é muito mais prático para ser lembrado.

Sendo assim, uma boa forma de memorizar um assunto é por meio da criação de músicas.

Para facilitar você pode escolher alguma música que você goste e usar a mesma melodia.

Ou seja, trocar a letra original pelo texto que você precisa memorizar.

9 – Criar um palácio da memória

O palácio da memória é uma técnica bastante antiga.

Ela consiste em fazer uma ligação – daquilo que será lembrado – com cada parte de algum lugar que você conheça.

O ideal é que você escolha um lugar que realmente conheça bem, como por exemplo a sua própria casa.

10 – Fazer uso de flashcards

Como-não-esquecer-das-coisas-com-flashcards
Imagem: Pixabay

Flashcards são pequenos cartões que auxiliam na memorização.

Basicamente, eles funcionam da seguinte forma:

Em um lado tem uma pergunta, e do lado oposto tem a resposta.

11 – Elaborar perguntas

Para otimizar os estudos, elabore perguntas ao final de cada tópico que achar importante.

A criação de perguntas tem como finalidade ajudar na estimulação da matéria.

12 – Revisar o conteúdo

Se você estudar apenas uma vez, provavelmente vai esquecer a matéria.

Nesse sentido, é importante criar uma programação para revisar o que você estudou.

Sendo assim, para memorizar efetivamente o que foi estudado elabore um calendário para fazer revisões periódicas.

13 – Fazer pausas

O cérebro somente consegue reter as informações até um determinado limite de tempo.

Por isso, fique atendo e quando perceber que está com dificuldade na concentração, pare para descansar pelo menos por alguns minutos.

Além disso, o cansaço mental pode causar problemas a longo prazo.

Sendo assim, é importante fazer uma pequena pausa durante os estudos.

A “Técnica Pomodoro” é bastante usada nesse sentido.

Ela consiste em estabelecer um período de 25 minutos focados em determinada tarefa, intercalados por cinco minutos de pausa.

Desse modo, além de aumentar o aproveitamento também será bom para manter a saúde.

14 – Resolver simulados e questões

Tão importante quanto aplicar as técnicas de memorização é verificar o seu nível de aprendizado.

Sendo assim, sempre reserve um tempo para fazer a resolução de simulados e questões.

Você também pode gostar: 

✔ 21 Sites para resolver simulados e questões.

Ao fazer isso, determine um período como se fosse o dia da avaliação.

Além disso, por meio de exercícios será possível verificar os pontos que precisam de maior atenção.

Dica importante de como não esquecer das coisas

Antes de concluir é preciso falar mais uma coisa importante.

Todas as técnicas certamente vão ajudar você a não esquecer das coisas.

No entanto, elas não são técnicas milagrosas. 

Ou seja, significa que você realmente terá que aplicar tudo aquilo que for indicado.

Conclusão

Nunca tivemos tantas informações como se tem hoje.

Além disso, a internet e a tecnologia, infelizmente acabam deixando o nosso cérebro até certo ponto “refém”.

O ato de anotar quase tudo, seja em papel ou no Smartphone, faz com que o nosso cérebro pense que não há necessidade de fazer a memorização.

E por esse motivo muitas pessoas acabam esquecendo uma data comemorativa ou algum evento especial.

Agora, me diga mais uma coisa por meio dos comentários: 

Você é daquelas pessoas que faz uma pequena lista com todas as coisas que precisa comprar no supermercado?

Ou quem sabe tem dificuldades para lembrar o número do seu CPF?

Você nunca parou para pensar sobre como as pessoas – principalmente aquelas que não sabiam ler – faziam para memorizar as coisas antigamente?

Pois bem, como naquela época não tinha muita tecnologia para auxiliar na memorização, as pessoas se viam obrigadas a usar outros meios.

Sendo assim, é extremamente importante treinar o cérebro frequentemente.

Se gostou desse artigo e acredita que pode ser útil a outras pessoas compartilhe esse conteúdo.

Você também pode participar aqui por meio dos comentários.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.